Relação custo/preço do frango: nos dois últimos anos, muitíssimo inferior à de 2019

AviSite

Negativa na primeira metade deste ano, a margem entre o custo de produção e o preço recebido pelo frango vivo “empatou” no início do segundo semestre: o custo médio dos sete primeiros meses de 2021 ficou em R$4,99/kg, mesmo valor recebido pelos produtores de frango de São Paulo. E só agora, em agosto, é que foi registrada alguma (ridícula) margem para o produtor, pois, na média do período janeiro-agosto, o custo ficou em R$5,03/kg e o preço recebido em 5,12/kg. Margem, portanto, de 1,79%.

É verdade que os parâmetros adotados nesta demonstração não proporcionam, exatamente, uma comparação perfeita. Pois o custo apontado, da Embrapa Suínos e Aves, refere-se a aviário climatizado do estado do Paraná, enquanto o preço recebido é o levantado pela Jox Assessoria Agropecuária no interior paulista. Mas são as duas únicas ferramentas disponíveis para uma avaliação do gênero e seus resultados, sem dúvida, correspondem muito de perto à realidade.

Assim, voltando à margem entre custo e preço recebido, constata-se que que a alcançada até o momento, de 1,79%, não é muito diferente daquela registrada em 2020, visto ter ficado em 1,56%. O ganho atual, portanto, se encontra em apenas 0,26 ponto percentual.

Diferentes, sim, são as margens destes dois últimos anos em relação àquela registrada em 2019, ano em que a diferença entre custo e preço ficou em 14,68%.

Neste último caso, é inegável que os resultados de 2019, após vários momentos difíceis para o setor produtivo, hoje podem ser vistos como excepcionais (mesmo porque, forçado pelas circunstâncias, o setor foi obrigado a readequar e reduzir a capacidade produtiva, daí um maior equilíbrio entre oferta e procura). Mas ainda que tenha sido superior, a margem de dois anos atrás não difere muito daquela registrada na média dos anos 10 anos anteriores, da ordem de 10,2%.

Ou seja: conviver, nos últimos dois anos, com um margem que mal passa de 1,5%, mas que, na realidade, deve continuar negativa (porque, com a pandemia, surgiram novos fatores de custo ainda não contabilizados nos levantamentos) continua sendo verdadeiro milagre.


Fonte: AviSite

Data da Notícia: 28/09/2021
O SINDICARNE / ACAV / AINCADESC utiliza cookies para a geração de estatísticas nos acessos do site, essas informações são armazenadas em caráter temporário exclusivamente para esta finalidade. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com o monitoramento.