Sindicarne - Florianópolis
INDÚSTRIAS DE PRODUÇÃO E TRANSFORMAÇÃO EM PROTEÍNA ANIMAL
22/08/2019
Suinocultura
PSA se aproxima de principais produtores europeus
Até o momento, pelo menos 12 países reportaram casos da doença em suínos domésticos

Suinocultura industrial


Enquanto o mundo se volta para o surto da Peste Suína Africana na China e seus reflexos no mercado, os países europeus começam a temer a aproximação da doença no continente. Nesta semana, foi a vez da Sérvia reportar a ocorrência da PSA em suínos domésticos à Organização Mundial da Saúde Animal (OIE). Além desse país, outros 11 tiveram casos da doença em suínos domésticos. O número é bem maior se somadas as ocorrências em javalis.

A Suinocultura Industrial está acompanhando o mapa da OIE que aponta a disseminação da PSA no leste europeu. A Romênia é o lugar em pior situação, conforme relatório da Comissão Europeia. Até o dia 10 de agosto, foram reportados pelo país 903 casos em suínos domésticos. A Polônia, que tem a segunda pior situação, reportou 39 surtos de PSA. Em seguida, aparece Bulgária, com 30 casos, e Ucrânia, com 29.

Outros países que estão no mapa da PSA elaborado pela OIE são Moldávia, Rússia, Hungria, Eslováquia, Sérvia, Letônia, Bósnia e Herzegovina. Existem divergências entre o último boletim da Comissão Europeia e o mapa da OIE. No primeiro, um caso de PSA teria ocorrido na Itália, em janeiro deste ano. O país não aparece, no entanto, no mapa de atingidos pela doença. O mesmo ocorre em relação à Lituânia.

O avanço da PSA no leste europeu surge como uma ameaça aos principais criadores da União Europeia. A Alemanha é o maior produtor de carne suína do bloco e sentiu, no último mês, os efeitos da fronteira com a Polônia – outro importante país produtor. As Filipinas anunciaram a suspensão das importações de proteína suína daquele país depois de ter encontrado carne de origem polonesa em meio às remessas da Alemanha.

Apesar de distantes dos países europeus atingidos pela PSA, as autoridades de Portugal temem o avanço da doença sobre a sua produção. Segundo o presidente da Associação de Criadores de Porco Alentejano (ACPA), Nuno Faustino, a doença poderá causar impacto na produção de suínos, um setor que exporta mais de 90% do que Portugal produz.

O receio é de que a PSA chegue ao país por meio do avanço dos javalis, que transitam pelos países europeus e tem acesso às matrizes reprodutoras.

Tags: