Sindicarne - Florianópolis
INDÚSTRIAS DE PRODUÇÃO E TRANSFORMAÇÃO EM PROTEÍNA ANIMAL
21/06/2019
Suinocultura
Suíno valoriza-se bem mais que frango e boi no decorrer de 2019
Considerados os preços pagos no campo, ao produtor de São Paulo, até recentemente quem vinha apresentando maior valorização no decorrer do ano era o frango vivo

AviSite

Considerados os preços pagos no campo, ao produtor de São Paulo, até recentemente quem vinha apresentando maior valorização no decorrer do ano era o frango vivo. Pois já em abril, trascorridos pouco mais dos 100 primeiros dias de 2019, registrava – comparativamente ao preço alcançado no início do ano – valorização próxima de 25%. Enquanto isso, a valorização do suíno não passava dos 10% e a do boi em pé sequer chegava a 5%.

A situação começou a mudar – e radicalmente – a partir de maio. Pelo menos para o suíno. Entre o início de maio e ontem sua cotação registrou valorização de 24,5%. Ou de quase 35% se levado em conta o preço inicial do corrente exercício.

Já o frango vivo passou, em junho corrente, a experimentar situação inversa. Pois, antes intensivamente procurado, agora se encontra super ofertado – a ponto de, em apenas uma semana, ver sua cotação retroceder mais de 8%. Ainda assim permanece valorizado, pois, em relação ao preço inicial de 2019, fechou quarta-feira (19) com incremento de preço da ordem de 14%.

Porém, nada disso se aplica ao boi em pé. Pois a valorização máxima que obteve neste ano foi de 5% no início do mês de abril, após o que seus preços refluíram (período de safra). No momento, estimulado pela reabertura do mercado chinês, o boi entra em novo ciclo de alta mas, por ora, alcança preço apenas 2,61% superior ao do início de 2019.

Na média dos primeiros 170 dias do ano (completados anteontem, 19), o boi registra valorização de 1,79%, o suíno de 7,93% e o frango vivo de 12,28%.

Frango, boi e suíno

Tags: