Sindicarne - Florianópolis
INDÚSTRIAS DE PRODUÇÃO E TRANSFORMAÇÃO EM PROTEÍNA ANIMAL
18/02/2019
Indústria de alimentos prevê avanço de até 4%
As indústrias de alimentos fecharam o ano de 2018 com crescimento real de 2,08%, atingindo um faturamento de R$ 656 bilhões, informou ontem a Associação Brasileira da Indústria de Alimentos (Abia)

AviSite

Para 2019, a previsão da entidade é de um aumento real (descontando a inflação) de 3% a 4% nas vendas.

"Alguns fatores condicionaram positivamente o desempenho do setor de alimentos, como o saldo de emprego que ficou positivo em 0,5%. Importante também destacar a força do setor, que registrou uma contribuição significativa na balança comercial brasileira, respondendo por 50,3% do saldo total", afirmou em comunicado João Dornellas, presidente executivo da Abia.

Para a entidade, se forem feitas as reformas previdenciária e tributária, haverá maior estímulo ao empreendedorismo e à produtividade e a expectativa é de recuperação em todos os setores da economia.

No ano passado, as vendas das fabricantes de alimentos no mercado interno cresceram 4,3% e representaram 80% do total. A projeção para 2019, somando-se as vendas no varejo e no segmento de alimentação fora do lar (bares e restaurantes), é de uma expansão entre 6,5% a 8%.

A produção física registrou, no total, uma queda de 3,4% no ano passado. A retração foi puxada, principalmente, pelos seguintes itens: açúcar (com recuo de 16,4%); café, chá e cereais (com queda de 5,8%); e proteína animal (redução de 1,9%). Para 2019, a previsão é de aumento de 2,5% a 3% no volume produzido.

A Abia informou, ainda, que as exportações de alimentos industrializados apresentaram queda de 9,8% em 2018, chegando a US$ 35,1 bilhões. O setor registrou retração nos embarques para mercados como Oriente Médio, África, América do Norte e Rússia. Entre os destinos que mais cresceram estão a China, que elevou em 37,6% as compras do Brasil em 2018, para US$ 3,30 bilhões.

Para este ano, a Abia projeta exportações de US$ 40 bilhões, com crescimento de 14% sobre 2018.

No ano passado, as indústrias de alimentos instaladas no Brasil geraram 13 mil postos de trabalho, chegando a 1,61 milhão de empregos diretos. Para 2019, a estimativa é de um crescimento de 2% a 3% nesse total. O setor é formado por 35,7 mil empresas. Juntas, elas respondem por 26,8% dos empregos da indústria de transformação.

Tags: