Sindicarne - Florianópolis
INDÚSTRIAS DE PRODUÇÃO E TRANSFORMAÇÃO EM PROTEÍNA ANIMAL
14/09/2018
Avicultura
Levedura e probióticos: um bom combo para frangos
Levedura e probióticos são freqüentemente usados ??em dietas de aves. Mas é uma combinação dos dois recomendados ou a eficácia é melhor quando esses produtos são alimentados sozinhos?

All About Feed, traduzido por Redação

Um estudo foi conduzido para investigar a eficácia de levedura ( Saccharomyces cerevisiae ) e probiótico multi-strain ( Lactobacillus acidophilus, Bacillus subtilis e Aspergillus oryzae ) isoladamente ou em combinação sobre o desempenho de crescimento, medidas de carcaça, constituintes bioquímicos séricos, capacidade antioxidante da carne, e composição de ácidos graxos em frangos de corte. Neste experimento, frangos de corte com 7 dias de idade (n = 336) foram aleatoriamente distribuídos em 4 tratamentos: controle (CON), 0,5% de levedura seca (DY), 0,5% de probiótico (PRO) ou 0,25% DY e 0,25% PRO ( DY-PRO) com 6 canetas por tratamento e 14 frangos de corte por caneta.

Todos os frangos de corte foram pesados ??individualmente no dia 7 de idade para determinar o peso inicial e depois o peso corporal e o consumo de ração foram medidos no dia 21 e 35 da idade. A mortalidade foi registrada durante o experimento. O ganho de peso médio, o consumo médio de alimento e a taxa de conversão alimentar (alimento / ganho) foram calculados para os períodos inicial, de crescimento e geral. Ao final do experimento, 12 frangos de corte por tratamento (2 frangos de corte / réplicas) foram selecionados aleatoriamente, mantidos sem ração por 12 h, colhidos, desmamados e vestidos humanamente. Os respectivos pesos de diferentes partes de frangos de corte, incluindo fígado, coração, moela e gordura abdominal foram determinados e expressos como uma porcentagem do peso vivo do corpo. Além disso, os pesos dos órgãos linfoides.

Os pesquisadores mostraram que aos 35 dias de idade, o tratamento DY-PRO teve maior peso corporal e percentual de curativo, e melhor taxa de conversão alimentar (P <0,05) do que o tratamento con, mas não foi diferente do tratamento pro. Gordura abdominal baixa (p> <0,001) foi observada nos tratamentos dy, pro e dy-pro em comparação com o tratamento a 35 dias de idade. frangos de corte alimentados com a dieta dy, pro ou dy-pro apresentaram maior proteína sérica total, globulina e glicose, porém menores lipídios totais e colesterol (p> <0,001) do que aqueles alimentados com a ração con no dia 35 de idade. a inclusão de dy-pro aumentou a proteína bruta e diminuiu a gordura bruta da carne de peito (p> <0,05), seguida das dietas pro e dy em comparação com a dieta con. aos 35 dias de idade, os tratamentos dy e dy-pro apresentaram menores valores de malondialdeído e maiores valores de glutationa peroxidase da carne de peito (p> <0,001) do que os tratamentos con e pro. a dieta dy, pro ou dy-pro aumentou o ácido graxo poliinsaturado (pufa; p> <0,05), os ácidos graxos n-3 (p> <0,001) e a proporção de ácidos graxos saturados pufa (p> <0,05), mas diminuiu 6 rácio n-3 (p> <0,001) na carne da mama em comparação com a dieta con no final da experiência.>

O presente estudo indicou que a inclusão de DY-PRO afeta beneficamente o desempenho de crescimento, a composição da carne, a capacidade antioxidante e o perfil de ácidos graxos da carne, seguido das dietas PRO e DY. A combinação DY-PRO pode ser usada como um aditivo funcional de ração para frangos de corte.

Tags: