Sindicarne - Florianópolis
INDÚSTRIAS DE PRODUÇÃO E TRANSFORMAÇÃO EM PROTEÍNA ANIMAL
16/03/2018
Conselho do Agro defende programa estratégico de médio e longo prazo
O Conselho do Agro aprovou nesta quinta (15) a elaboração de um programa estratégico com as principais demandas do setor para ajudar o governo na formulação de políticas públicas no médio e no longo prazo

Assessoria de Comunicação CNA/SENAR

O Conselho do Agro aprovou nesta quinta (15) a elaboração de um programa estratégico com as principais demandas do setor para ajudar o governo na formulação de políticas públicas no médio e no longo prazo. Os detalhes do documento “O que queremos dos futuros governos” serão discutidos entre as entidades setoriais e o trabalho deve ser concluído ainda no primeiro semestre.

A decisão unânime foi tomada na primeira reunião do colegiado em 2018, na sede da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), em Brasília. O programa deve ser entregue aos candidatos à Presidência da República, mas a ideia é ter um plano para o setor agropecuário até 2030, segundo o presidente da CNA, João Martins.


João Martins, presidente da CNA

“Não é só um governo que vai levar o país para novos rumos. Por isso queremos mostrar os problemas que influenciam nosso segmento. O que estamos definindo é um plano para garantir a segurança alimentar da nossa população e de parte do mundo e a nossa contribuição para a economia brasileira”, disse.

Representante do meio acadêmico e novo integrante do Conselho do Agro, o ex-ministro da Agricultura e coordenador do Centro de Agronegócios da Fundação Getúlio Vargas, Roberto Rodrigues, será responsável pelos debates sobre as propostas.

“Não é um trabalho apenas para o agro, mas para o Brasil inteiro, com todos os temas que envolvem um amplo projeto. Tecnologia, infraestrutura, renda, sustentabilidade, política industrial, política comercial e tudo que nos leve à condição de liderança”, afirmou.


Ex-ministro Roberto Rodrigues

Para o presidente da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), Márcio Lopes de Freitas, a iniciativa será fundamental para uma visão estratégica para o agro. “Vamos tomar a iniciativa de definir o que queremos para o agro nos próximos anos”.

Tags: